Leptospirose

Doença infecciosa febril, que pode variar desde formas assintomáticas e subclínicas até quadros clínicos graves associados a manifestações hemorrágicas com vasculite (Síndrome de Weil) . As apresentações clínicas da leptospirose também podem ser categorizadas considerando as fases evolutivas da doença: fase precoce (fase leptospirêmica) e fase tardia (fase imune). É uma zoonose de importância mundial sendo transmitida pelo contato com a urina de animais/água contaminada com leptospiras patogênicas. Muitos animais podem ser considerados reservatórios para a espiroqueta, sendo que no meio urbano o rato é considerado o principal responsável pela perpetuação dos casos. A leptospirose é um importante problema de saúde pública em nosso país e em outras regiões tropicais do globo, endemicidade mantida pela ausência de condições adequadas de saneamento básico e pelas altas taxas de infestação dos roedores. Em países desenvolvidos, os casos da doença estão na maior parte das vezes associados a exposição acidental (ocupacional, ecoturismo, catástrofes naturais). O tratamento de escolha continua sendo as tetraciclinas e os beta-lactâmicos. O seqüenciamento do genoma de uma das espécies de leptospira foi finalizado propiciando boas perspectivas para estudos futuros sobre a doença.