Mononucleose

Existe um grupo de doenças que se apresenta com um conjunto de sinais e sintomas pouco específicos, conhecido como Síndrome da Mononucleose. Os quadros são, em geral, de aparecimento agudo e se apresentam com febre, adenomegalias (gânglios aumentados) e hepatoesplenomegalia (aumento do baço e fígado). Podem também ocorrer dor de cabeça, rash cutâneo (vermelhidão na pele), fraqueza, mal-estar, dor de garganta e outros sintomas. Os sintomas são bastante inespecíficos, podendo ser causados por uma série de doenças infecciosas como a rubéola, toxoplasmose, citomegalovirose, mononucleose infecciosa, sífilis ou infecção aguda pelo HIV, dentre outras. Podem ainda ocorrer alterações em diversos exames laboratoriais e disfunção de alguns órgãos, como olhos, fígado, sistema imunológico ou outros, dependendo do agente causal. Uma avaliação equivocada do quadro pode levar a uso desnecessário de antibióticos ou à perda da oportunidade de se realizar um diagnóstico precoce importante. É fundamental o diagnóstico preciso destas infecções, pois os tratamentos, e até mesmo a necessidade destes, variam muito dependendo do agente causal. O infectologista está capacitado a conduzir a rotina diagnóstica e dar as orientações pertinentes a cada caso.